logo criativa
Novas formas de aprendizagem

Novas formas de aprendizagem

08/07/2018

Entre os dias 2 e 5 de julho aconteceu em Portugal a Conferência Internacional de aprendizagem com sentido. Nela, foram discutidos as mudanças atuais da educação, com foco do novo papel do educador dentro do ambiente escolar. O que alegam os especialistas que atenderam o evento é que, com a educação colaborativa, o professor passará a ser um mediador do aprendizado. Sendo assim, ao invés da fonte primária, o professor começará a ser um orientador do conhecimento.

Entretanto, o que realmente significa uma educação colaborativa e os novos métodos de aprendizagem?  É de certa forma confortável olharmos para o meio de educação atual como algo constante e imutável, que se mantém o mesmo ao longo das gerações e que funciona. Funciona, correto? Afinal você provavelmente não estaria lendo esse texto se ele não funcionasse. Entretanto, também é necessário levar em conta que, em um mundo após a revolução digital, as crianças recebem estímulos e conhecimento que não estavam disponíveis há 10 ou 15 anos atrás. O meio de aprendizagem que conhecemos está em colapso, pois compete com uma forma de cognição muito mais atrativa, rápida e excitante, que é a Internet. E é por isso que termos como educação colaborativa vem se tornando mais presentes na sociedade.

Portanto, respondendo a pergunta inicial, a educação colaborativa é um meio que busca, a partir da interação de alunos entre si, com professores, com a comunidade e com técnicas de engajamento, a melhor forma de entendimento de um ou de diversos assuntos. As técnicas utilizadas podem ser chamadas de novos métodos de aprendizagem e abrangem tendências que estão em alta no cenário atual, como:

Tecnologia: Podemos pensar  em usar os celulares e computadores como aliado na educação.

Descentralização: com a internet os alunos conseguem ter acesso a qualquer informação e achar a melhor forma de aprender aquele conteúdo.

Personalização: respeitar a individualidade e a forma que cada um tem de aprender.

Storytelling: trazer o conteúdo com uma narrativa e uma forma mais lúdica.

Gameficação: usar lógica de games, engajamento e “premiações” para os alunos se sentirem prontos para as “próximas fases”.

Desescolarização: educação mais autônoma e fora do ambiente escolar –

Escola + Vida: levar assuntos do cotidiano para dentro da escola

É importante para os pais, também, entenderem esses novos meios de aprendizagem e estimularem seus filhos a buscar o conhecimento em métodos não tradicionais. O  envolvimento dos pais com os filhos também faz parte da educação colaborativa, pois a educação não deve se restringir às quatro paredes da escola. Sendo assim o ideal é procurar a melhor forma de aprendizagem por meio das experiências que as crianças têm na escola, em casa, com amigos e com a família.